Material para o professor

    Moçambique

    Veredas

    Autor: Júlio Emílio Braz
    Ilustração: Cárcamo

    Sobre o livro

    Desde criança sou apaixonado pelo saber, conhecer, descobrir. Tenho uma necessidade quase orgânica de conhecer e saber sobre tudo e qualquer coisa. Moçambique fez parte durante muito tempo de um de meus maiores interesses: a África como um todo e a África que fala português, em particular. Natural olhar para os países africanos que partilham conosco o português e todo o Oceano Atlântico: Angola, Cabo Verde, entre outros. Mas, e Moçambique? Esse grande país fica do outro lado do continente africano e talvez isso explique o fascínio que sempre despertou em  mim. Esse livro de contos e lendas é apenas o começo de sua descoberta. Espero que vocês gostem de lê-lo tanto quanto eu gostei de escrevê-lo. Júlio Emilio Braz

    Prêmios

    FNLIJ ACERVO BÁSICO, 2010 – CATEGORIA RECONTO

    FNLIJ CATÁLOGO DE BOLOGNA, 2012
     

    Conheça mais

    Detalhes da obra

    • Moderna Literatura
    • ISBN 9788516070724
    • Código do produto: 12070724
    • Indicação 8º Ano (EF2), 9º Ano (EF2),
    • Assunto Contos populares africanos, Cultura Africana,
    • Tema complementar Diversidade cultural,
    • Tipo de obra Ficção
    • Faixa etária A partir de 13 anos
    • Preço sugerido R$ 61,00

    Dados técnicos

    • Formato Impresso
    • Dimensões do produto 14 x 21
    • Número de páginas 144

    Leitura indicada para:

    Projeto Araribá

    Araribá Plus - 5ª edição

    Expedições Geográficas - 2ª Edição

    Moderna Plus 2016

    Projeto Araribá Plus

    Expedições Geográficas - 3ª Edição

    Sobre o autor

    Júlio Emílio Braz

    Júlio Emílio Braz nasceu em abril de 1959. É mineiro da cidadezinha de Manhumirim, mas aos cinco anos foi morar no Rio de Janeiro, cidade que adotou como lar. É autodidata. Lê desde os seis anos e aprendeu a ler sozinho, em revistas de terror da Editora Vecchi, do Rio de Janeiro. Começou sua carreira escrevendo histórias em quadrinhos e, mais tarde, começou a escrever livros de bolso de bangue-bangue sob 39 pseudônimos diferentes. Em 1986, ganhou o Prêmio Angelo Agostini de Melhor Roteirista de Quadrinhos e, em 1988, publicou seu primeiro livro infantojuvenil, Saguairu, pela Atual Editora, que lhe rendeu o Prêmio Jabuti de Autor Revelação no ano seguinte. Hoje tem textos publicados em várias editoras do Brasil e de outros países. Escreveu roteiros para o humorístico Os Trapalhões, da TV Globo, e algumas mininovelas para um canal de televisão do Paraguai. Na Áustria, ganhou o Austrian Children Book Award, pela versão alemã do seu livro Crianças na escuridão (Kinder im Dunkeln), e pelo mesmo livro também faturou o Blue Cobra Award, do Swiss Institute for Children's Book.