Material para o professor

    Sobre o livro

     Em O mulato, temos a história de Raimundo, filho de José Pedro da Silva, ex-traficante de escravos e comerciante, e da negra Domingas. Depois de estudar na Europa, desde a infância, Raimundo retorna a São Luís do Maranhão com a intenção de liquidar a herança deixada pelo pai, já falecido, para depois estabelecer-se na corte. Mas Raimundo não conhece a verdadeira história de sua origem. Depois de seu nascimento, o pai casou-se com Quitéria, mulher branca. Esta, suspeitando do carinho que o marido dedicava a Raimundo e à negra Domingas, desconfiou de algo e resolveu vingar-se, mandando torturar barbaramente a escrava, que enlouquece. José Pedro, com medo da crueldade da mulher, leva Raimundo para a casa do irmão, Manoel Pescada, em São Luís. Quando volta à fazenda, surpreende Quitéria em pleno adultério com o padre Diogo. Humilhado, José Pedro mata a mulher, na presença do padre. Como são ambos culpados, fazem um pacto e acobertam suas faltas. Algum tempo depois, José Pedro é assassinado numa emboscada. Aos poucos, o padre Diogo começa a insinuar-se na casa de Manoel Pescada, exercendo grande influência na família. Quando, voltando da Europa, é recebido pelo tio em sua casa, Raimundo ignora toda essa história. Apaixona-se pela prima Ana Rosa e é correspondido por ela. Mas esse amor se defronta com três fortes obstáculos: o pai de Ana Rosa quer vê-la casada com Dias, um dos caixeiros de sua loja; a avó Maria Bárbara é uma mulher racista e não gosta dele; o padre Diogo, agora cônego, é seu inimigo natural pelo que aconteceu com José Pedro. Todas essas pessoas conhecem o passado de Raimundo e sabem que ele é filho da escrava Domingas. Quando Raimundo insiste em querer casar-se com Ana Rosa, o tio confessa-lhe que, apesar de ele ser um homem educado e bem apresentável (Raimundo é mulato mas tem fortes traços portugueses herdados do pai), não pode dar a jovem ao filho de uma escrava. Raimundo procura conhecer os detalhes de sua origem e continua a ver Ana Rosa, imaginando com ela um plano de fuga. Mas o caixeiro Dias intercepta uma carta dos dois e fica sabendo do plano, revelando-o ao cônego. A fuga não se realiza e, numa discussão em família, Ana Rosa confessa que está grávida. Raimundo é expulso e, ao voltar para casa, é assassinado por Dias, que tinha sido instigado pelo cônego. Ana Rosa aborta. Há um corte temporal no romance e, seis anos depois, vemos Ana Rosa casada com Dias e já mãe de três crianças, gozando tranqüilamente uma boa vida burguesa.

    Conheça mais

    Detalhes da obra

    • Moderna Literatura
    • ISBN 9788516113940
    • Código do produto: 12113940
    • Indicação 3º Ano (EM), 2º Ano (EM), 1º Ano (EM),
    • Tipo de obra Ficção
    • Faixa etária A partir de 15 anos
    • Ano da última edição do livro 2018
    • Preço sugerido R$ 37,00

    Dados técnicos

    • Formato Impresso
    • Dimensões do produto 15,5 x 22,5 x 2,5
    • Número de páginas 344

    Sobre os autores

    Douglas Tufano

    Douglas Tufano nasceu em São Paulo. É formado em Letras e Pedagogia pela USP. Foi professor efetivo da rede oficial de ensino de São Paulo e trabalhou também em escolas particulares, tendo lecionado Português, Literatura Brasileira e História da Arte. Atualmente, ministra cursos de capacitação para professores de todo o Brasil a convite de Secretarias de Educação e instituições particulares de ensino. É autor de vários livros didáticos e paradidáticos, publicados pela Editora Moderna.

    Aluísio Azevedo

    Nasceu no Maranhão, em 1857, e faleceu na Argentina, em 1913. Parte para o Rio de Janeiro e matricula-se na Imperial Academia de Belas-Artes, trabalhando na imprensa carioca como caricaturista e ilustrador. Passa a colaborar na imprensa e publica seu primeiro romance, "Uma lágrima de mulher", em 1879. Dedicando-se inteiramente à atividade de escritor, publica, até 1895, vários romances. Aprovado em concurso, abandona a atividade literária e ingressa na carreira diplomática.