Walcyr Carrasco: como nasce um escritor?

Walcyr Carrasco nasceu em Bernardino de Campos (SP), em 1951, e foi criado em Marília. Decidiu ser escritor quando tinha 12 anos e se apaixonou pela obra de Monteiro Lobato.

“Posso afirmar que Monteiro Lobato foi tão importante na minha formação como a educação que meus pais me ofereceram. E também a que recebi na escola. Um livro pelo qual alguém se apaixona é assim: transmite valores e uma forma de pensar.”

Depois de cursar Jornalismo na USP, trabalhou em redações de jornal, escrevendo textos para coluna social e até reportagem esportiva. É autor das peças de teatro: O terceiro beijo, Uma cama entre nós, Batom e Êxtase.

Escreveu minisséries e novelas de sucesso, como Xica da Silva, O Cravo e a Rosa, Chocolate com pimenta, Alma gêmea, Sete pecados, Caras & bocas, Morde & assopra, Amor à vida, Êta Mundo Bom! e também a adaptação para televisão de Gabriela, cravo e canela, romance de Jorge Amado.

Muitos de seus livros infantojuvenis já receberam a menção “Altamente recomendável” da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Entre suas obras infantis estão: Quando meu irmãozinho nasceu, O selvagem, Camarões X Tartarugas – A grande copa do mar, Cadê o super-herói, Asas do Joel, Meu encontro com o Papai Noel. E entre as juvenis: Irmão negro, O garoto da novela, A corrente da vida, O menino narigudo, Estrelas tortas, O anjo linguarudo e A palavra não dita. Fez também diversas traduções e adaptações de clássicos da literatura, como A volta ao mundo em 80 dias, de Júlio Verne, e Os miseráveis, de Victor Hugo. A discussão de temas sociais importantes é uma das grandes características de seus livros.

Walcyr Carrasco recebeu os principais prêmios de suas áreas de atuação: o prêmio Shell de teatro pela peça Êxtase, o prêmio Emmy de televisão nos Estados Unidos por Verdades Secretas e também o prêmio Jabuti, o mais importante prêmio literário do Brasil pela tradução e adaptação de Romeu e Julieta, de William Shakespeare. É membro da Academia Paulista de Letras desde 2008, onde recebeu o título de imortal.

“Um livro, pra mim, tem que mexer com a emoção, com o riso ou a lágrima. Com o sentimento de superação. Tem que proporcionar uma experiência boa. A criação de um sentimento prazeroso propicia o hábito da leitura.”
Walcyr Carrasco

Prêmios

Contador de páginas